Em Viagem #6 | Fui a Cabo Verde...

... E vim de lá com uma gastritezita. 
Achei que era uma maneira gira de começar e de fazer um spoiler do que vamos ver, porque eu gosto de estragar momentos desde que me lembro de ser gente.

Vamos ao que interessa!
Parti para Cabo Verde, mais precisamente para a Ilha do Sal durante uma semana. 
Fui cheia de expectativas e de ouvidos cheios: "Leva repelente" ; "Cuidado com o sol" ; "Traz um cabo verdiano" ... e acho que só na última é que eu estive realmente empenhada. 

Em relação à pequena Ilha do Sal, o que mais tenho a destacar são as pessoas: Ma-ra-vi-lho-sas. 
Simpáticas, sempre a sorrir, prestáveis.
(Na verdade, isto não deveria ser algo a destacar, nós, pessoas educadas que somos - ou deveríamos ser - devíamos ter todos estas qualidades e virtudes, no entanto é tão raro nos dias de hoje, principalmente em grandes cidades, que quando recebemos amor em demasia, desconfiamos ou congratulamos o acto generoso.)


A comida: Óptima! Mas... pois. Exacto. 
As mudanças de país, de continente e entre outros factores, deram cabo do meu estômago ao fim de 4 dias de ter chegado, disseram-me que era normal e muita gente ficava assim. Como devem calcular, passei o resto das férias a comer o mais simples e ainda assim, não melhorava, eu sabia que isso só iria acontecer quando voltasse para Portugal e às minhas rotinas.
Quando chegamos à ilha somos advertidos para o facto daquela água ser desaconselhada aos turistas, por várias razões, mas os hotéis ou resorts têm sempre disponíveis garrafas de água em qualquer lado.

A ilha em si: Vou ser sincera, eu não tinha ideia de como seria a ilha do sal, muita gente me falava de como era maravilhosa, das pessoas, etc, mas da ilha em si, eu não tinha imagem absolutamente nenhuma. Chegar e deparar-me com a pobreza quando fiz uma volta pela ilha, foi o que me tocou mais. 
Ver que nós, turistas, ficamos em resorts com tudo do bom e do melhor para que a nossa estadia seja fantástica e do outro lado daquela área, estão pessoas, que vendem na rua, que esperam conseguir dinheiro para comer para sobreviver. A desigualdade é uma realidade na ilha do Sal. 
Ainda assim, o povo cabo-verdiano sabe receber, convida, abraça, sorri, ignora todas as adversidades e dá-nos a conhecer a sua ilha como algo precioso, não interessa se tem muito ou pouco, mas só a forma como o fazem, torna a ilha rica, mais rica do que qualquer país desenvolvido.

E para finalizar, as praias: As melhores onde já fui alguma vez na minha vida.

Vou deixar-vos com um pequeno vlog que fiz durante a minha estadia.
Um pequeno vlog que pode resumir onde estive e o que vi. 


Não se esqueçam de subscrever o canal para mais vlogs de viagens. 

Continuem a acompanhar tudo via snapchat: danielavroch. 




7 comentários:

  1. Aposto que foram umas férias mesmo bem passadas!
    Beijinhos,
    An Aesthetic Alien | Instagram | Facebook
    Há giveaway a decorrer no blog :)

    ResponderEliminar
  2. É pena a gastrite :S Mas o que importa foi o bocadinho daquela beleza que trouxeste contigo :D
    Parece ser lindo *.*

    Beijinhos
    Dash of Wonder

    ResponderEliminar
  3. Também costumo ter problemas parecidos quando vou para fora!
    Mas pelo menos conseguiste aproveitar o sítio lindo =)

    Beijinhos,
    Cláudia
    The Pink Book of Style

    ResponderEliminar
  4. Awww que inveja, adorava ir a Cabo Verde :*
    As melhoras <3

    Adriana, Arco Íris num Batom

    ResponderEliminar
  5. Lovely :)

    http://trapeziovermelho.blogspot.pt

    ResponderEliminar
  6. Não consigo lidar com as cores do mar, que inveja!!

    xx Rita | ALL RITA

    ResponderEliminar

Petit, o teu comentário é muito importante!
Podes encontrar-me diariamente no snapchat e no instagram: danielavroch.